Inventário de Gases de Efeito Estufa

Inventário de Gases de Efeito Estufa

O primeiro passo para que uma instituição ou empresa possa contribuir para o combate ao aquecimento global, com o desenvolvimento de soluções de baixo carbono, é a realização do inventário de Gases de Efeito Estufa (GEE).

Com o conhecimento do perfil de emissões, uma organização pode estabelecer planos e metas para redução e gestão das emissões de gases de efeito estufa.
No inventário de emissões se identificam possíveis fontes de gases de efeito estufa nas atividades produtivas e a quantidade de GEE lançada à atmosfera, com base em padrões e protocolos.

Conhecido o perfil das emissões, é possível estudar as possibilidades de mitigação em suas operações, alcançando vários benefícios:

  • Oportunidades de redução de custos
  • Criação de benchmark e oportunidades para melhorar a competitividade
  • Participar de mercados de emissões de GEE
  • Prestar contas aos acionistas e stakeholders
  • Replicabilidade e impacto em cadeia
  • Avaliar passivos e preparar-se para futuras políticas de emissões de GEE
  • Garantir oportunidades no mercado internacional

Um inventário de emissões deve ser estabelecido como um processo contínuo, que permita identificar o ponto de partida e a evolução dos esforços de redução de emissões de uma instituição ou de determinado território e aprimorar essas medidas progressivamente. Para realização do Inventário de GEE é necessário a realização de seis etapas:

  1. Definir os limites organizacionais do inventário
  2. Definir os limites operacionais do inventário
  3. Selecionar metodologia de cálculo e fatores de emissão
  4. Coletar dados das atividades que resultam na emissão de GEE
  5. Calcular as emissões
  6. Elaborar o relatório de emissões de GEE

Essas etapas fazem parte do GHG Protocol que é um protocolo adotado para inventários de instituições ou empresas (inventários corporativos) que tem cinco princípios:

  • Relevância
    Assegurar que o inventário reflita com exatidão os limites da empresa, e que sirva às necessidades de decisão dos usuários da informação, no nível interno ou externo à empresa.
  • Integralidade
    Registrar e comunicar todas as fontes e atividades de emissão de GEE, dentro dos limites do inventário selecionado. Divulgar e justificar quaisquer exclusões específicas.
  • Consistência
    Utilizar metodologias consistentes, que permitam comparações relevantes de emissões ao longo do tempo. Documentar claramente quaisquer alterações de dados, limites de inventário, métodos, ou quaisquer fatores relevantes nesse período de tempo.
  • Transparência
    Tratar todos os assuntos relevantes de forma coerente e precisa, com base em fatos e assegurados por uma auditoria transparente. Revelar quaisquer suposições relevantes, bem como fazer referência apropriada às metodologias de cálculo e de registro e ainda às fontes de dados utilizadas.
  • Exatidão
    Assegurar que a quantificação de emissões de GEE não seja apresentada equivocadamente, acima ou abaixo do nível de emissões reais, e que as incertezas sejam reduzidas ao mínimo. É preciso determinar uma exatidão suficiente que possibilite aos usuários decidir com segurança razoável quanto à integridade da informação relatada.

O GHG Protocol foi desenvolvido pelo World Resources Institute (WRI) em parceria com o World Business Council for Sustainable Development (WBSCD). A ferramenta oferece diretrizes para contabilização de GEE, com caráter modular e flexível e neutralidade em termos de políticas ou programas.

A metodologia do GHG Protocol é compatível com as normas ISO e com as metodologias de quantificação do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), e sua aplicação no Brasil acontece de modo adaptado ao contexto nacional.

Após a realização do Inventário de GEE é necessário a realização da etapa de Verificação de Emissões de GEE.
A verificação é uma avaliação objetiva da exatidão e finalização da informação de GEE comunicada e a sua conformidade da informação para com os princípios de comunicação e de registro pré-estabelecidos.

O processo de verificação deve ser visto como uma introdução valiosa ao processo de melhoramento contínuo intrínseco ao GHG Protocol, seja pelo objetivo de revisão interna, pela meta de comunicação pública ou para certificar a sua concordância com um programa específico de mitigação de GEE.

A eficácia do Inventário de GEE requer o estabelecimento de metas de emissões de GEE, mesmo que ela tenha caráter voluntário.

À medida que as empresas desenvolvem estratégias para a redução das emissões relacionadas a seus produtos e operações, metas de GEE para toda a estrutura empresarial se tornam elementos-chave deste esforço, mesmo quando partes da empresa estejam sujeitas a limites obrigatórios de GEE.

Muitos dos benefícios associados aos inventários de emissões só existem se a informação se torna pública. A credibilidade de uma empresa e uma boa imagem corporativa podem ser garantidas por essa simples ação de publicar dados a respeito de sua pegada carbônica.

Além disso, as emissões afetam a todos, portanto garantir o acesso amplo a esse tipo de informação é um direito básico a ser assegurado aos cidadãos e gestores públicos ou privados.

Na próxima publicação continuaremos nesta temática, abordando Mercado de Carbono.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *